A GRANDE FAMILIA

Hoje nos veio a recordação de amigos que estiveram conosco no “ALMAS POÉTICAS”, mesmo longe estamos todos ligados nessa “família” poética , como costumamos chamar esse espaço. São eles Paulo Mello e Collybry que mesmo afastados estão para sempre no nosso coração, no coração do ALMAS.
Com carinho, deixamos aqui um pedacinho da alma desses dois amigos.que caminharam por um tempo connosco.
Obrigado aos dois por este tempo juntos!

Os Autores



* O beijo

O beijo
Aquele longínquo de adolesceste
Fazia corar, percorrendo o corpo
Num arrepiar…

O beijo na plenitude de amar
Como o verso, feito poema
Com voz de uma canção…

O beijo declamado…
Pela boca dos poetas!

O beijo é ele também
Em saudade…

Dos que partem
Das palavras não ditas,
De repente silenciadas
Pelo elo quebrado…
Do físico!

O momento que se faz
Eterno,
Onde repousam…
Em,
Vida recomeçada…
Em memória…
No cofre da bem-aventurança!
Guarda-o que é sagrado.

𺰘¨¨˜°ºð ? 𺰘¨¨˜°ºð
*©õllyß®y

amigos amigos amigos amigos amigos amigos amigos
Hoje eu vi você...


Hoje eu vi você e fiquei a me perguntar se era saudade o que sentia ao vê-la ali, frente a uma vitrine, olhando distraída para uma jóia. Fiquei pensando se seria um brinco, um colar ou uma pulseira, que estaria ocupando sua concentração. Lembrei-me do quanto você gostava de jóias e o quanto investia nelas. Lembrei-me que não era prazer o que via no seu olhar quando recebia ou adquiria uma peça em ouro, brilhante ou platina, mas sim uma avidez que às vezes me assustava. Como também nunca consegui penetrar no mistério que a envolvia quando abria o cofre e espalhava seu tesouro pela cama, ficando a admirar peça por peça. Nunca entendi essa sua preferência por jóias se quase nunca as usava. Se a vi com alguma no espaço de tempo que vivemos juntos, forçando a memória talvez não contasse nem três vezes.

Pensei em dar um toque de buzina para chamar sua atenção, mas o sinal logo abriu e eu me fui, carregando um resquício de tristeza por não ter conseguido fazê-la entender que existe um outro tesouro maior e mais precioso que se chama afeto, e que precisa apenas ser guardado num cofre chamado coração.
MelloPaulo

8 comentários:

Olhos de mel disse...

Amigos Collybry e Paulo! Maravilhoso vir aqui e ler um poema e um conto tão lindos! Momentos como esse, serão sempre guardados na memória e no coração...
Beijos

LuzdeLua disse...

Lindo demais. Passando para conhecer, deixo um beijo e o meu carinho.
Bjs

cõllybry disse...

Olá Almas Poeticas...fico sem palavras,para descrever a emoção ao ser lembrada com tanto carinho
Minha gratidão aqui em registo fica…

Doce beijo a todos Vós

manuela disse...

O beijo e a saudade...dois temas maravilhosamente bem tratados e que manifestam os nossos sentimentos para com estes dois amigos!...beijos!!

MEU DOCE AMOR disse...

Ai beijo...ai beijo!

Hoje eu vi você...

Devias ter saído e correr ao seu encontro.É assim que o abraço e o sorriso sabem melhor...

Beijinho doce

Rui Caetano disse...

O beijo liga-nos à alma, o carinho enleva-nos o olhar e a saudade inquieta-nos o coração por aquele grande amor que vive em nós.

Olhos de mel disse...

Olá meus amigos queridos! Passei para ver vocês e desejar uma semana de realizações!
Beijos

efeneto disse...

olá veja lua da lua