Os meus versos
São gotas do meu sangue ardente
Que abrasa e queima
São farrapos da minha alma quente
Que teima em viver!
São pedaços da minha carne
A palpitar e a sofrer!
Os meus versos
São feridas dolorosas
Que se abriram no meu ser,
Cicatrizes horrorosas
Que se rasgaram sem doer!
Os meus versos
São a minha vida!
Mas não morrerão quando eu morrer!

8 comentários:

Anónimo disse...

lindo poema e linda m�sicatamb�m.
nos transmite uma paz.
beijos amiga e felicidades em seu blog.
beijinhos da amiga deusaodoya.
te espero no meu blog.
fique na paz do mestre jesus.

Lyra disse...

Os teus versos derão sempre a parte imortal e intemporal de ti. Ficarás através deles, neles, com eles, para todo o sempre.

Beijinhos e até breve.

;O)

Perla disse...

Com toda a sinceridade do mundo: este poema é lindo!

Lana disse...

Kridas almas,
algumas conheço bem outras se ai estão é porque o merecem de todo o coração.
os versos não morrerão é verdade nem vós que serão recordados por quem vos amar e isso é mto importante!
se um dia quiserem uma recruta para versejar de vez em quando é só dizerem!
1 sorriso mto mto luminoso e voltarei pois a chamada foi tardia sim mmas forte e constante!
Lana

* hemisfério norte disse...

...
os meus versos
são diversos
reversos
travessos
...
porém, sou efémera... acho que parte deles partirão comigo, porque eu sou a entrelinha do que escrevo. sou a parte que não está lá.
...
bjs
a.

manuela disse...

Levados pelo vento da poesia, os teus versos são parte de ti e intemporais...que bela forma de o exprimir!....beijinho grande.

lua prateada disse...

Que verdade tão grande amiga é isso mesmo até me pareceu ser eu a escrever,pois minha poesia e meus versos também eles são pedaços de mim, rasgada e esfarrapada e é aí que ponho isso cá para fora...
Beijinho prateado com muito carinho
SOL

Maria Clarinda disse...

Lindo!!!!!Obrigada por esta parte de ti, partilhada com o teu poema.
Jhs mil