Sem Titulo

Sentir à claridade é como morrer para nós. Não devemos ficar pelo visível. Este ofusca-nos, esconde o que nos torna gente. Sentir o sentimento do que está oculto sem olhar para aflorar o ser.
Interiorizar a imagem, transformá-la e ter a possibilidade de criar uma obra que evoca outra imagem e assim sucessivamente. Se o acto de nomear nos lembra formas...calemo-nos e no silêncio tentemos delimitá-las. O essencial é invisível aos nossos olhos. Fechem-nos e sintam aquilo que não vêm. Em breve, terão novas formas saídas de um abstracto concreto. Algo não visitado pelo real que nos é impossível sentir à luz.

Faça-se tudo negro!

Consultar a noite é como consultar o maravilhoso desconhecido que nos é permitido sentir,
Fazer do abstracto forma é desafiar a arte, é tentar realizar o que nos é impossível revelar por palavras. A linguagem é pequena para isso. Formem-se conjuntos novos de letras partindo dos existentes. Associem-se ideias desconexas e criem-se elementos abstractos que remetam para aquilo que sentimos no nosso mais profundo delírio. Criem-se novas frases que exprimam a nossa imagem mesmo que para isso seja necessário romper com as normas.
Largar o real e conseguir dar a conhecer novas paisagens.
Dar asas ao sentir.
Multiplicar as imagens.

PS: Este poema foi escrito em tempos idos de faculdade, já lá vão pelo menos 10 anos. Encontrei-o há uns meses e fui guardando, esperando a altura de postar.

by jguerra @
*

11 comentários:

Vieira Calado disse...

Está bem escrito.
Eu também só publico, anos, por vezes, depois de ter escrito o texto.
A gaveta é boa conselheira...
Um abraço.

Lyra disse...

O processo de criatividade, a arte (assumindo esta seja que forma for) é sempre inevitavelmente um "romper de normas" e um revisitar colorido ao abstracto da alma.

Beijinhos

;O)

Bichinho disse...

E bem postado!
Beijo fantasma.

lua prateada disse...

Tudo o que dizes amigo é a verdade mas para mim a maior é: "A linguagem é pequena para isso".
E como é ...tantas vezes queremos por para fora o que vai cá dentro e palavras??? não há que possam expressar isso.Belo e fascinante .
Beijinho prateado
SOL

Iana disse...

Hummm.. saudades....

Felicidade é viver cercado de amor
É plantar amizades, é o calor
daquele abraço amigo
Que mesmo distante,
Lembrou de dizer: um "Olá!"

“ Não existe maior bem
do que fazer a felicidade
de alguém.
Nem nada menos caro,
nem mais fácil, pois a felicidade
é algo que se pode oferecer em
gestos,e atenções.”

Beijos carinhosos
Iana!!!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá, lindíssimo poema... Era uma pena ficar na gaveta... Obrigada, por nos dares a conhecer tanta beleza... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

MEU DOCE AMOR disse...

Profundo...lendo melhor.De certeza que existirá algo mais.

Um beijo doce

Luadosul disse...

Nao vou ter nete um bom tempo... que pena sinto nao poder ler os blogs da gente que sempre me tem feito companhía a distancia!
Deixo um beijinho desde longe para todos!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá amigos, para todos vós, um bom fim de semana...
Beijinhos de carinho e amizade,
Fernabdinha

Maria Clarinda disse...

E ainda bem que o guardaste, está lindo!
Jinho

jguerra disse...

Agradeço vossos comentários. Dão-me vontade de continuar a pesquisar meu baú.
Um abraço