Beijei e... Morri

Pergunto-me sem palavras,
Persuadido em momentos findos…
Nos poemas que escrevi,
Envolvido em gritos de silêncio,
Acorrentado ao passado,
Preso a ti,
Num desejo escondido…
Sinto-me ardente,
Um corpo dormente,
Sei que fazes parte de mim.
Memórias dos tempos recentes,
Em que matámos a sede…
Perguntei-te apenas,
Silêncios proibidos em febre de fogo,
Não importa a resposta,
Os teus lábios diziam que sim…
E, por magia,
O mundo se transformou…
E da razão à loucura, foi um simples passo…
Envolvido nos gestos, no toque…
Numa boca que não se cansa de recordar,
Pele macia, essência dum perfume que hipnotiza…
Perdi-me no tempo…
Não sei se hoje é amanhã,
Ou se as estrelas são anjos sorrindo,
Na memória um trago,
Onde tudo aconteceu,
Um beijo que me roubaste…
Um toque na mão, um abraço,
Ao olhar-te nos olhos não resisti…
Beijei-te
E morri…

Fotografia - Maria José Amorim ( tema - Fragmentos de ti...)

5 comentários:

lua prateada disse...

Tambem quero morrer assim...Està lindo!Beijinho prateado e um bom domingo
SOL

Olhos de mel disse...

Oie meu amigo! Tenho sentido sua falta... Mas é maravilhoso passar aqui e ver versos tão lindos, tão apaixonados!
Que sua semana seja de realizações!
Beijos

Fallen Angel disse...

Abençoada morte essa.. :-)

Fátima disse...

Muito bom!
Deixei-me levar pelo encanto e quase "morri"...
PARABÉNS blogue muito intressante.

:-) um abraço

Olá!! disse...

Ficou o beijo eterno....