M...de Mentira.

O engano!...
A mentira!...
E essa ilusão que é a vida...
Mais uma vez me enganei
Acerca dos humanos...
Mais uma vez tropecei
Nesta vida de desenganos...
O ser sincero para mim é...
A coisa mais linda!
Porém a mentira é o fim
Acho-a muito mesquinha!
Fui por ai ao teu encontro...
Sem saber onde encontrar-te
Foi grande a desilusão
Quando vi que me enganaste...
Se fui ver se te via
Nada de ti esperava...
Fui apenas...porque te amava!...
SOL

11 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

A mentira é lamentável, triste, hedionda, miserável!!!

Via-a ontem à noite na R da Amargura...

©õllyß®y disse...

Não a vida mas sim o que fzem dela,
M...de Mulher fonte de vida...

Bjca doce

Olhos de Mel disse...

Adorei vir aqui. Infelizmente a mentira toma conta cada vez mais das pessoas. Vivemos num mundo em que as relações são construídas com bases em enganações. Lamentável!
Bjs Boa semana!

jguerra disse...

Não fiques assim. Cruzamo-nos todos os dias com factos desses, acontecimentos tristes (não de tristeza, convenhamos) que nos deixam perplexos, que nos deitam abaixo.
Não vale a pena. Ergue-te perante a mentira e dá-lhe um bofetão de verdade.

Lu@r disse...

Quantas vezes as pessoas aparentam e afinal nada mas nada são.

Beijo doce

GarçaReal disse...

Fui apenas porque te amava... Encontraste a mentira.
Pois o ser humano é imprevisivel.

bj

Moinante disse...

Cada vez mais se ouve mentiras e por vezes de quem n´s menos esperamos .

BEIJOS DE AMIZADE E UMA BOA SEMANA

manuela disse...

Lindo!...nunca te arrependas dos teus gestos se foram feitos com amor...apesar da mentira não te feches ao mundo...nunca deixes de acreditar na vida e nas pessoas...beijos.

Kanoff disse...

Modula o rouxinol violino alado
as notas musicais da serenata
trovas de oiro e de rosas carmim
na alvura doce do luar coalhado…
Cantam em coro cigarras à desgarrada...
Fura o ralo o fino ar...negro cetim...
na estridência fina de um flautim
pelo trombone do sapo acompanhada...
Das profundezas místicas da mata
cai de uma fonte um harpejar sem fim…
Murmura ao longe a negra ramaria…
Das pedrinhas do rio são arrancadas
notas líquidas verde desmaiadas…
Soa em surdina, o vento em correria…

Anónimo disse...

A Mentira, coisa ignóbil. Só existe porque a Verdade, seria perigosa em certas situações. E quem canta assim a sua repulsa por essa coisa hedionda, merece todo o meu respeito e admiração.

Cumprimentos

lua prateada disse...

A todos vós um xi coração e obrigados pela visita.Voltem sempre!...Boa semana para todos.Um beijinho com carinho da
SOL