E nos mistérios...


E nos mistérios...
Desse mar do verbo amar
Entrar nesses devaneios ardentes
Estonteantes!
Fácil embarcarás…


Já desembarcar, do fascínio por ele eleito…
Das labaredas que te enredam
No seu ardente, mas delicado
Leito…
De coração rasgado de dor no teu peito
De lá sairás…


Se esperares o amor alheio, para amar!...
E porto?... Não
Não haverá cais
Onde aportares…

𺰘¨¨˜°ºð 𺰘¨¨˜°ºð
*©õllyß®y

8 comentários:

Olhos de mel disse...

Collybry, existe coisa mais certa, que o dito, no finalzinho do poema?
Amar sempre será um mistério! Muito lindo!
Boa semana!
Fique com Deus!
Bjs

lua prateada disse...

E nos mistérios desse mar...pois é...e é ele quem mais nos faz sonhar e mais sentir esse verbo AMAR...um beijinho com carinho da
SOL

poetaeusou disse...

*
Desse mar do verbo amar
*

MEU DOCE AMOR disse...

...fascínio...

Beijinho doce Collybry

jguerra disse...

Olá Collybry. Se nos mistérios do verbo amar os pudessemos desvendar, palavras não haveria para os descrever... nãoa chas? Mas que o tentas de forma sublime... lá isso tentas.

Naeno disse...

Linda poesia, muito linda.

Um beijo
Naeno

Eärwen Tulcakelumë disse...

Sempre belo, minha amiga.

"E nos mistéros...
Desse mar do verbo amar.."

Sempre estamos nesse mar.

Pérolas incandescentes de luz.

Eärwen

pessoa nenhuma disse...

venho te dar mais um aceno e dizer que não me esqueci de ti...encontro-te neste canto de almas..até breve..doce colibri