DO PARAÍSO


***
***
Uma brisa de paraíso...e folhas, e pássaros
verdes, e uma sonata de murmúrios, trazem
de novo o não-eu, como um deus da natureza,
à mesmidade que é isto ser ou não-lugar:
O paraíso, por ausência de descrição possível.
E então lemos: "Mas tu não verás com teus olhos,
o que só a tua alma de decifrar é capaz."
***
DO PARAÍSO II
***
Continuemos, pois, a caminhada, até chegar ao
ser de um coração irradiante, neste sem-tempo
momento luminoso, nesta mágica oportunidade
difusa, e toquemos o esplendor que se levanta do
rosa branco céu, como arcos de violoncelo,
plangentes, sobre as cabeças.
Diz assim o livro da vida: "Este é um diálogo com
ausência...do paraíso só sabes por agora que é um
estado de não-ego, porventura, de supra-ego."

5 comentários:

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Encontrarás o teu "PARAÍSO", tenho a certeza!
Lá dentro desse "PARAÍSO"...está um ANJO há tua espera. Que te amará para toda a eternidade...Nesse teu PARAÍSO...está o amor, a felicidade, a harmonia...que tanto precisas.

Esse ANJO...com um manto branco da paz...estará lá...à tua espera.

Fica em paz querida amiga.

Estou sempre contigo, no meu coração....

Beijinho

manuela disse...

O paraíso...aprender a não odiar para conhecer o amor e assim encontrar o paraíso aqui na Terra.Lindos estes versos, lindo o teu sentir.

efeneto disse...

Minha amiga, a poesia quando é escrita com sentimento de paixão e de amor, leva aos minimos recantos da profundidade da alma humana.
O paraíso provoca angústia, porque colado às coisas boas está sempre o medo de as perder.
Como gosto de dar as boas vindas a quem entra neste espaço, escolhi para si um soneto de quem voçê gosta;
.............."...................
Versos Íntimos

Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

Augusto dos Anjos
............".................
Seja bem vinda em nome de todos os autores.

lua prateada disse...

Simplesmente...vindo do mais profundo que um ser humano pode sentir é maravilhoso!mas até nas horas más temos de louvar ao Senhor ,pois elas também nos trazem mais sabedoria.Beijinho e força amiga...

O Sentir dos sentidos disse...

Obrigada queridos amigos por vir até aqui e deixar uma palavra de carinho.Quanto ao meu amigo Efeneto, meu muito obrigada pelo presente, deste que considero um dos maiores poetas que conheço, e tanto amor nutro por seus escritos.
Beijo todos com ternura,